segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Três bons filmes


Tive a grata oportunidade de assistir no último final de semana, a três bons filmes. Todos três de gênero épico, um dos meus preferidos.

Henrique IV

Uma produção francesa retrata a vida de Henrique da Navarra que em meio às guerras religiosas entre católicos e huguenotes alçou o trono e tornando-se portanto, Henrique IV. Como rei da França assinou um dos primeiros tratados de liberdade religiosa de que se tem notícia no ocidente.

Além das cenas de batalha, o filme traz cenas picantes do rei que tinha a fama de ser “garanhão”. O profeta Nostradamus é referido no filme por supostamente ter previsto a importância que Henrique teria para a unificação de um país divido e para a declaração de liberdade de culto. Supõe-se também que em uma de suas famosas “centúrias” Nostradamus teria previsto o assassinato deste rei por um radical fanático católico.

Sem fazer menção direta, o filme retrata a fatídica Noite de São Bartolomeu em que 30 mil protestantes foram assassinados de maneira traiçoeira por radicais católicos em Paris.

Curiosidades: Os Huguenotes eram em sua maioria calvinistas, doutrina religiosa que segundo Max Weber teria favorecido o surgimento de capitalismo. A criação da chamada França Antártica por franceses huguenotes na Baía de Guanabara teve relação direta com as guerras religiosas na França. No Brasil, os calvinistas são hoje conhecidos como Presbiterianos.

Recomendo a todos os católicos e evangélicos, para que se conheçam os fundamentos do direito de liberdade religiosa.

Confúcio (A Batalha pelo Império)

Esta produção chinesa retrata a luta de Confúcio para transformar implantar princípios de ética, moralidade e civilidade entre os reinos chineses que viviam em constante estado de beligerância no século V A.C., antes da unificação do Império.

Confúcio é na verdade uma corruptela de Kung Tsé , que significa aproximadamente “Mestre das Boas Ações ou Mestre das Boas maneiras”. O pensamento confucionista teve grande influência em todo oriente. Embora alguns considerem o confucionismo como uma religião, a maioria prefere classificá-lo como uma filosofia de vida baseada na harmonia e no respeito ao próximo.

Seu mestre foi Lao Tsé (literalmente mestre velho, ou mestre dos cabelos brancos). Lao Tsé foi o criador do Taoísmo uma doutrina filosófica baseada na não-ação.

Confúcio é considerado como uma dos maiores educadores da história da humanidade.

Recomendo a todos os educadores.

Alexandria

Produção espanhola (Título original: Ágora), baseada na história real de Hypatia de Alexandria, uma corajosa filósofa, astrônoma e matemática. O filme mostra os expedientes utilizados pelos cristãos daquele tempo, para sobrepor-se ao paganismo e ao judaísmo. Por ser mulher e inteligente, Hypatia foi logo acusada de bruxaria e perseguida pelos cristãos, conseguindo, contudo, salvar parte do conhecimento da biblioteca.

Hypatia de fato estudava formas curvas como a parábola, a hipérbole e a elipse, formas consideradas “impuras” em relação à perfeição do círculo. A título de conjectura o filme supõe que Hypatia bem poderia ter descoberto as órbitas elípticas do planeta, 1.200 anos antes de J. Kepler. No entanto, a era de trevas inaugurada pelo cristianismo, grande parte do conhecimento da Biblioteca perdeu-se.

Curiosidade: Até recentemente acreditava-se que a Biblioteca de Alexandria teria sido queimada a mando dos árabes. Contudo, os árabes alegam que quando chegaram à Alexandria (Egito) a biblioteca já havia sido queimada por ordem de um suposto bispo cristão. A versão que chegou no ocidente teria sido trazida pelos Cruzados, como forma de desmoralizar os islâmicos. Contudo sabe-se que a maior parte do conhecimento grego foi reintroduzido pelos árabes através a península ibérica.

Recomendo: A todos os cristãos, para que se lembrem o alto custo do fanatismo para a humanidade.

3 comentários:

  1. Os verdadeiros Cristãos também foram perseguidos e mortos de formas brutais!

    ResponderExcluir
  2. Prof. Augusto Jr.
    1-No que se refere ao filme Alexandria, o mais correto é cristãos e não católicos, uma vez que retrata um período quando existiam dezenas de denominações cristãs ainda não unificadas sob a ICAR. O filme especificamente retrata a denominação da seita dos parabolanos, cristãos, mas não ainda, católicos, uma vez que a autoridade papal ainda não estaria totalmente estabelecida.
    2- É lugar-comum retratar que os cristãos tenham sofrido perseguições especialmente sob o reinado de Diocleciano. No entanto é fato menos conhecido, mas tão verdadeiro quanto de que os mesmos cristãos, décadas mais tarde, foram autore de perseguições aos chamados "pagãos" sob os reinados de Constantino, Teodósio e Honório, usando expedientes tão ou mais cruéis que os seus predecessores.Perseguiram primeiramente os pagãos, depois, aos judeus, e depois perseguiram-se entre si por diferenças dogmáticas.
    3- O objetivo não é imputar a violência cometida esta ou aquela denominação, a pagãos ou cristãos, mas fazer justiça à história daqueles que como Hypatia, foram perseguidos por acreditar em algo que não se enquadrava nos dogmas do cristianismo.
    4- Os protestantes foram vítimnas de perseguições por parte dos católicos, mas tambpem à praticaram contra supostas "bruxas" (vide Salem), e contra índigenas e africanos, e ainda que a fogueira tenha siodo aposentada, outros métodos de perseguição xcontinuam em prática por auto-intitulados "cristãos" (Vide São Gonçalo-RJ)

    ResponderExcluir